Se você gosta de aventuras, provavelmente já ouviu falar na Table Mountain, o famoso cartão postal da cidade de Cape Town na África do Sul, certo? Muitos brasileiros viajam milhares de quilômetros para contemplar essa beleza, mas não fazem ideia de que no Brasil existe o Monte Roraima, uma formação rochosa imponente com 2.875 metros de altura e 90 km de extensão. 

Monte Roraima

Localizado na tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, o Monte Roraima tem formato de uma grande mesa e foi formado desde o período pré-cambriano, ou seja, bem antes de existir vida completa no planeta. Sua porta de entrada principal é o país vizinho, Venezuela. Do Brasil, é possível acessar o local a partir do estado de Roraima, na região Norte do país.

O resultado de tanta história é um lugar cheio de encanto, mistério e paisagens de tirar o fôlego, transformado em parque natural desde 1989. Sem dúvidas, um destino que você deve visitar um dia.

Ficou interessado? Acompanhe a leitura e conheça mais sobre esse local incrível!

Localização e como chegar 

Primeiramente, você deve se locomover até Boa Vista, capital do estado de Roraima. A cidade fica 3.297 km distante de São Paulo, 3.431 km do Rio de Janeiro, 3.012 km de Salvador e 2.499 km de Brasília. Todos os trajetos podem ser feitos de avião, com voos que duram entre 4 e 5 horas de viagem.

Depois de chegar na capital, é hora de cruzar a fronteira com a Venezuela — isso porque o Monte só é mesmo acessível pelo país vizinho. Logo, são outros 230 km a serem percorridos até a cidade de Santa Helena de Uairém.

O trajeto a partir de Boa Vista pode ser feito por uma agência de sua confiança. Observe se ela oferece todo o suporte necessário para seu deslocamento, inclusive com seguro saúde, já que você estará em território estrangeiro.

Documentos necessários 

Por conta do acesso ser feito do outro lado da fronteira com a Venezuela, é preciso que você tenha em mãos um passaporte válido ou um RG com menos de cinco anos de emissão. Além disso, o visitante precisa confirmar sua vacina contra febre amarela, que é obrigatória para entrar em território venezuelano.

Como funciona o trekking até o Monte Roraima

Para desbravar as belezas do Monte Roraima, você vai precisar estar preparado fisicamente. A maioria dos trekkings é feita entre seis e dez dias, em uma verdadeira imersão de aventura e paisagens inesquecíveis.

Além disso, para alcançar as partes mais isoladas e intocadas do local, são percorridos, em média, 10 km por dia. Por isso, é muito importante que você contrate um serviço de primeira, pois será ele que vai te oferecer suporte, comida e barracas de acampamento.

O nível de dificuldade dessa trilha se encontra entre o médio e o difícil. Para chegar até o platô, é recomendável que você já tenha feito outros trajetos de intensidades semelhantes ou um pouco menores.

O roteiro vai depender bastante do número de dias que você contratou, embora exista um consenso quanto aos lugares percorridos. O trekking tem início em na aldeia indígena de Paraitepuy, depois de um deslocamento de carro desde a cidade de Santa Helena do Uairem. Após contratar carregadores e se juntar a equipe de apoio, inicia – se a caminhada com a predominância de savanas e planaltos. Trata-se da parte mais fácil do trajeto, terminando no Acampamento Tek.

Em um segundo momento, o trilheiro segue em direção ao acampamento Base. Esse trecho é descrito como o segundo mais difícil, devido ao extenso número de subidas. Todavia, no final, os participantes são contemplados com uma vista de tirar o fôlego!

Monte Roraima

Em seguida (geralmente acontece no 3º dia), vem o trecho mais difícil de todo o trekking: a saída do acampamento Base até o topo do Monte. Para alcançar o platô, você vai passar pelo acampamento Coati e o marco da tríplice fronteira entre Venezuela, Brasil e Guiana.

Dependendo de quantos dias você optar por passar no topo do Monte Roraima, dá para conferir a Proa — se a nebulosidade permitir —, o El Fosso, as amostras da flora e as formações rochosas desse lugar deslumbrante.

Alimentação e hospedagem durante o trekking

Passar entre seis e dez dias em um trekking exige dedicação, esforço e grandes compensações. Durante a caminhada, as refeições oficiais ficam por conta da agência contratada, mas nada impede você de levar também alguns complementos, como frutas, cereais e outras fontes de energia.

Já a hospedagem é feita em barracas ou em cavernas, chamadas de hotéis. Por conta das formações geológicas, elas oferecem proteção para as noites mais frias, mas não são hotéis propriamente ditos. Por isso, não se esqueça de que levar com você as roupas adequadas é algo fundamental contra o frio e a chuva.

Quando ir

A melhor época para conhecer o Monte Roraima é no verão brasileiro, ou seja, entre os meses de dezembro a março. Por ficar em uma região muito úmida, chove muito durante boa parte do ano, sendo esse o período mais seco.

Principais atrações

São tantos mirantes e paisagens incríveis que fica difícil só falar de algumas, mas vamos as mais importantes:

Pedra Maverick

A rocha leva esse nome por se assemelhar ao formato de um carro. Ela tem 2.880 metros de altura.

La Ventana

Esse é o mirante mais conhecido do Monte Roraima. Se o dia estiver com céu aberto, você se surpreenderá com a vista de outra montanha vizinha, chamada de Kukenan. 

Acima das nuvens no trekking do Monte Roraima
Vista do topo do Monte Roraima. Foto: Demerson Sabino

Catedral

Como o próprio nome já diz, essa formação lembra uma bela catedral. Dentro dela, há uma pequena cachoeira em uma espécie de gruta, onde os visitantes podem tomar banho e revigorar as energias.

Jacuzzis

Já pensou em desfrutar de uma jacuzzi natural — feita de pedras e cheia de minerais — a mais de dois mil metros de altitude? Durante o trekking no Monte Roraima, isso é mais que possível!

Lago Gladys

Já do lado brasileiro, depois de passar pelo venezuelano, não deixe de conhecer e admirar o lago Gladys. Ele é visto de um mirante e não existe a possibilidade de banhar-se. 

Mirante do Quati

Quer mais beleza ainda? Do Mirante do Quati, é possível contemplar a imensidão da Floresta Amazônica. Além disso, se você tiver a sorte de pegar um pôr do sol, pode se preparar para guardá-lo para sempre na memória. 

Proa

Já do lado da Guiana fica a vista de frente do Monte Roraima. Ela é conhecida como Proa, pois faz alusão a um formato de navio.

Marco das Três Fronteiras

Assim como acontece em Foz do Iguaçu, existe também um obelisco que demarca a união dos três países do Monte Roraima. Ele também é uma das paradas da trilha.

Fauna e Flora

Por sua enorme extensão (são 90 km!), o Monte Roraima tem inúmeras surpresas no que se refere à fauna e flora. Estima-se que algumas plantas do local tenham entre 120 e 400 milhões de anos. Outra curiosidade é que a maioria dos animais é de cor preta — uma forma de camuflagem natural.

Responsabilidade ambiental

Estar em um lugar assim tão bonito e intocável exige dos visitantes um grau máximo de responsabilidade ambiental. Sendo assim, você deve se preparar para isso e ser responsável pelo seu próprio impacto na área.

Durante a sua alimentação, observe se não está deixando lixo espalhado. Use somente as áreas permitidas para tomar banho e utilizar o banheiro e, por fim, nada de retirar plantas ou pedras para trazer para casa.

Mais uma vez destaca se a importância de ter uma boa empresa especializada cuidando da expedição. Além de providenciar toda alimentação e logística, ela também será responsável por cuidar de  todo o lixo produzido durante a viagem, inclusive dejetos, que devem ser trazidos de volta.do Monte Roraima para Santa Helena.

Sem sombra de dúvidas, sentir a força da natureza faz qualquer um esquecer os problemas do dia a dia. Fugir da rotina e passar alguns dias bem próximo à natureza selvagem, em um local como o Monte Roraima, certamente revigora as nossas energias e nos proporciona experiências únicas. Lembre-se disso ao planejar o seu próximo roteiro de viagens!

Monte Roraima

Pacotes de viagens para Monte Roraima

Existem algumas opções de pacotes para quem quer conhecer o Monte Roraima. Basicamente, é o número de noites no topo que irá diferenciar as opções de pacotes para o Monte Roraima. Segue abaixo os links com os roteiros detalhados.

Se você gostou do conteúdo de hoje, compartilhe o post nas suas redes sociais e ajude a divulgar esse lugar fantástico, cujo pedacinho pertence ao nosso Brasil!