Se no passado a ideia de se aventurar no turismo de natureza parecia extremamente perigosa, hoje em dia não é assim que a banda toca. Graças a um esforço conjunto entre diversas organizações, o turismo de aventura no Brasil deu um salto enorme no quesito segurança.

Se você ainda guarda um pouquinho de receio de se aventurar no ecoturismo, esse texto é para você! Continue lendo para descobrir o esforço que vem sendo feito para garantir a segurança no turismo de natureza e como se proteger enquanto turista.

Brasil: Líder em segurança no turismo de natureza

O turismo de natureza no Brasil já se tornou um dos principais segmentos turísticos do país, segundo dados de uma pesquisa do Ministério do Turismo. Cerca de 21% de todos os turistas estrangeiros que escolhem o país como destino de férias procuram pelo turismo de aventura — esse segmento só fica atrás do turismo de sol e praia na preferência internacional.

E por que será que tantos turistas internacionais escolhem o país para se aventurar? Uma das razões, claro, é o reconhecimento do esforço do Brasil em normalizar e estruturar a segurança para o turismo de natureza por aqui.

Em 2006, o Brasil deu início a um trabalho organizado pela ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura), pelo Ministério do Turismo e pelo SEBRAE, que gerou como fruto o Programa Aventura Segura, um conjunto de 32 normas técnicas que determinam como se deve proceder para garantir a segurança do turista durante as atividades radicais.

Já em 2010, especialmente graças ao esforço da Lei Geral do Turismo, foi criado um Programa de Gestão de Segurança, que abrange as 32 normas e que define todas as responsabilidades que as empresas nacionais têm para poder realizar uma operação segura de atividades radicais no turismo de natureza.

Esse esforço no país deu tão certo que centenas de empresas já estão credenciadas para operar com o ecoturismo. Em 2015, as normas técnicas brasileiras serviram de base para a elaboração e aprovação de duas normas internacionais de turismo de aventura, colocando o Brasil como líder de segurança no segmento.

Como se proteger enquanto turista

Ok, tudo isso parece ótimo, mas como o turista se protege durante as suas atividades de turismo de aventura? O primeiro passo, claro, é pesquisar bastante, já que a informação é o primeiro estágio de proteção para qualquer atividade de risco. Abaixo, listaremos alguns dos cuidados que se deve ter com as atividades de aventura mais comuns:

  • Rafting: use sempre colete e capacete, fique atento às instruções do operador da atividade e nunca tente tocar o fundo do rio com os pés caso caia na água;
  • Canoagem: procure por rachaduras na embarcação ou no remo e use sempre o colete salva-vidas. Carregue sempre água e comida e interrompa a prática da atividade se o tempo fechar;
  • Escalada: verifique duas vezes o estado dos equipamentos antes iniciar a atividade, escolha um percurso que esteja de acordo com as suas habilidades e se informe sobre as condições meteorológicas antes de começar a escalar;
  • Mergulho: sempre realize a atividade em dupla, cheque todos os equipamentos antes de iniciar e, quando retornar à superfície, o faça devagar e com paradas, para evitar a doença descompressiva;
  • Flutuação: o colete salva-vidas é obrigatório. Flutue sempre perto das margens e longe de pedras ou outros obstáculos;
  • Rapel: verifique a qualidade e o estado de conservação dos equipamentos mais de uma vez antes de iniciar a atividade e não se aventure se não estiver confortável com os equipamentos disponibilizados;
  • Tirolesa: é obrigatório usar capacete e a tirolesa deve ter, preferencialmente dois cabos de aço (existem Tirolezas bem dimensionadas para um só cabo). Use o cinto de segurança e mantenha as duas mãos longe do cabo ou da roldana.

Para sua maior segurança, opte por contratar uma boa operadora de turismo, que seja associada a ABETA ou que tenha implementado algum programa de gestão de segurança ao menos uma vez. Isso significará que ela conhece as normas e você estará mais seguro.

Viu como participar do turismo de natureza pode ser algo extremamente prazeroso e seguro? Se você gostou desse artigo, mostre-o para seus amigos e compartilhe nas suas redes sociais!