Se você gosta de embarcar em novas aventuras, conhecer lugares exóticos e estar em contato com culturas diferentes, saiba que o turismo no Butão pode ser a opção ideal. Localizado no sul do continente asiático, o país é conhecido como o reino da felicidade, chamando a atenção de vários turistas e combinando simplicidade e paisagens de tirar o fôlego. 

Mesmo com tantos pontos positivos, não se escuta muito sobre o Butão. Pensando nisso, preparamos este post para apresentar a você um pouco mais sobre a cultura, as atrações turísticas e as principais curiosidades sobre esse país.

Também mostraremos os principais motivos pelos quais você deve fazer turismo no Butão. Tudo pronto para embarcar nessa leitura? Então vamos lá!

País

O Reino do Butão, nome oficial do país, tem 700 mil habitantes. Está encravado no Himalaya e faz fronteira com a China (norte), e com a Índia (sul, leste e oeste), separado do Nepal pelo estado indiano de Siquim. Sua maior cidade, a capital Thimphu, é cercada de montanhas e abriga a residência oficial do rei Je Khenpo, o Palácio Dechenchoeling.

A economia do país se baseia essencialmente na agricultura, na venda de energia hidroelétrica para os vizinhos indianos e na extração florestal. Por esse motivo, é uma das menores e menos desenvolvidas do mundo. Além disso, a criação animal e o plantio de subsistência são os principais meios de vida para cerca de 90% da população. 

Cultura

Devido ao isolamento do resto do mundo até o início da década de 1960, a herança cultural rica e única do Butão permanece praticamente intacta, seja na língua natal, nas danças, na música, na gastronomia, nos esportes e até mesmo na forma de se vestir — as mulheres são sempre vistas trajando a Kira, cujo tecido é produzido manualmente, já os homens usam o Gho, uma espécie de quimono. 

Esses costumes e tradições têm uma forte ligação com o budismo e com o hinduísmo, sobretudo ao sul do país. Os butaneses valorizam mais o ser do que o ter. Eles não se importam em ter o smartphone mais descolado, o carro do ano ou uma televisão com qualidade de cinema, mas sim em encontrar um equilíbrio entre os bens materiais e espiritualidade. 

Além disso, a disseminação da tradição começa desde cedo nas escolas, nas quais crianças e jovens estão em contato com professores que frequentaram universidades públicas justamente para ensinar a cultura butanesa. 

Atrações turísticas

Ninho do Tigre

O templo Taktshang Goemba (ou Ninho do Tigre) fica na cidade de Paro. Os butaneses afirmam que uma hora de meditação por lá equivale a três meses de meditação nos demais templos. Vale dizer que a ida ao local requer bastante fôlego: a trilha de 800 metros de ladeiras íngremes e escadarias dura cerca de 2h30min — tudo isso numa altitude de 2400 metros. Mas, quem já foi, garante que a recompensa vale a pena. 

Ao completar o percurso e chegar ao templo, os celulares e máquinas fotográficas devem ser trancados num armário junto com os sapatos. Dessa forma é possível absorver completamente toda a pureza e energia positiva do local, transportando-se para outra dimensão. 

Biblioteca Nacional

Localizada na capital Thimphu, a biblioteca nacional conta com uma vasta coleção de textos antigos e manuscritos budistas, sendo o passeio ideal para quem tem interesse na parte histórica do país. 

O local é dividido em dois prédios: um de quatro andares, que abriga acervo totalmente na língua oficial do Butão; e outro com obras na língua inglesa. O melhor de tudo é que, além de entrar em contato com essas riquezas, também é possível admirar a bela arquitetura interna e externa de estilo butanês. 

Escola de Artes e Artesanato

Esse é um passeio definitivamente interessante e repleto de cultura. Isso porque é na Escola de Artes e Artesanato, situada também em Thimphu, que os estudantes de todo o reino aprendem artes como tecelagem, bordado, desenho, pintura, escultura, entre outras. 

Muitas das peças que são encontradas nos mercados de artesanato saem do local, confeccionadas em madeira, metal, pedra, tecido, papel e até em bambu. E se engana quem pensa que tais itens são adquiridos apenas pelos turistas: a maioria dos produtos artesanais do Butão é feita pela população para uso próprio. Interessante, não?

Curiosidades

Confira nos tópicos abaixo as principais e mais interessantes curiosidades sobre o Reino do Butão:

  • o Butão foi o primeiro país a banir, em 2004, o consumo público e a comercialização de cigarros. Uma quantidade limitada pode ser utilizada pelos turistas, mas de modo restrito e em locais privados;
  • planta-se maconha livremente para alimentar animais, que engordam melhor, dormem mais e permanecem mais calmos. Porém, o consumo pelos humanos é proibido e as leis são bem rígidas quanto a isso;
  • Thimphu é a única capital nacional que não possui aeroporto e a cidade de Paro abriga o único aeroporto internacional do país;
  • as portas para os visitantes de outros países se abriram somente em 1974, criando assim um cenário único em todo o mundo, podendo ser percebido no vestuário, nos costumes e na arquitetura;
  • os butaneses são adeptos a poligamia, aceitam relacionamentos homoafetivos normalmente e não consideram o sexo um tabu;
  • o esporte nacional do Butão é o arco e flecha;
  • embora o idioma oficial seja o Dzongkha, nos hotéis, todos falam em inglês;
  • a televisão só chegou ao Butão há 10 anos;
  • 50% dos adultos butaneses não sabem ler ou escrever;
  • os monges ajudam os pais a nomearem seus filhos, relatam uma espécie de mapa astral do recém-nascido revelando segredos sobre suas vidas passadas e conquistas futuras. 

Outros atrativos

Como prometemos no início do post, mostraremos agora os principais motivos para você visitar o Butão. Acompanhe:

Culinária repleta de simbolismos e temperos

Os butanesas gostam de comidas apimentadas e a gastronomia do país é repleta de simbolismos e temperos. Eles comem com a mão, seguindo a regra da cultura indiana de nunca tocar a comida com a mão esquerda. Mas, não se preocupe: os turistas recebem talheres, caso não queiram se aventurar. 

O arroz é garantido em todas as refeições, inclusive no café da manhã. Também é servida carne de animais como galinha, vaca e porco, embora evitada por grande parte da população devido aos costumes budistas. 

Turismo guiado

O turismo no Butão é guiado, de modo a privilegiar e preservar a cultura do país, bem como gerar renda. Você só consegue andar por lá na companhia de agentes autorizados, com um custo mínimo de US$250,00 por dia por pessoa — valor que inclui toda a hospedagem, refeições e traslados. 

É um modelo ideal para aquelas pessoas que valorizam o conforto dos pacotes prontos, mas com a possibilidade de personalização. Isso porque o turismo guiado permite que  você conheça a cultura do país com riqueza de detalhes e o guia vai adaptando o roteiro de acordo com aquilo que você demonstrar interesse. 

Felicidade Interna Bruta

Como já mencionamos, o Butão é conhecido como o reino da felicidade, pois ostenta uma filosofia que coloca a felicidade do povo acima dos índices econômicos — e isso por si só já é um motivo para conhecê-lo, afinal, quem não deseja visitar um país no qual a maioria das pessoas é feliz? 

A origem do conceito veio do 4º (e mais adorado) rei do Butão, Jigme Singye Wangchuck. Foi ele que desenvolveu uma proposta única no mundo, inserindo na constituição nacional o conceito de Felicidade Interna Bruta como um índice a ser medido em todo o país. Existe até um Ministério da Felicidade, que planeja a alegria de todos. 

Viu só como o turismo no Butão pode ser incrível? Com tantos pontos atrativos, pode ser uma ótima ideia planejar, incluir o destino em seu próximo roteiro e conferir de perto tudo o que abordamos no artigo, absorvendo também a cultura e a tradição do reino da felicidade!

Pacotes de viagem para o Butão

E aí, gostou do post de hoje sobre turismo no Butão? Para continuar por dentro de nossas novidades, basta curtir agora mesmo nossa página no Facebook. Até a próxima!