O Brasil foi eleito o melhor destino de aventura do mundo no ranking global Best Countries. E não foi sem razão, afinal, com tantas amostras de beleza natural, o país é o lugar certo para quem quer aproveitar o melhor do turismo de natureza. Os Parques Nacionais como o da Chapada Diamantina são os destaques do setor e são responsáveis pela conservação da biodiversidade.

Dentre os 71 Parques Nacionais do Brasil está o da Chapada Diamantina, localizado no centro da Bahia na região das serras, que abriga florestas, cachoeiras, montanhas, grutas e muita beleza cênica. A variedade de ecossistemas da região conta com Mata Atlântica, Cerrado, Campos rupestres e Caatinga. Um verdadeiro hotspot ecológico que garante a preservação da biodiversidade.

Artigo escrito em 30/03/2016,  revisado e ampliado em 29/04/2017.

Parque Nacional da Chapada Diamantina

O Parque Nacional da Chapada Diamantina foi criado em 1985 e conta com uma área de 152 mil hectares distribuídos pelos municípios de Andaraí, Ibicoara, Iramaia, Itaetê, Lençóis, Mucugê e Palmeiras. A unidade de conservação é administrada pela autarquia federal Instituto Chico Mendes de Biodiversidade – ICMBio e recebe visitantes o ano inteiro atraídos pela natureza exuberante da região.

É na Chapada que nascem metade dos rios que banham o Estado da Bahia. O clima na região varia de acordo com a altitude que cuja média está entre 800 e 1200 metros. Mesmo no inverno o sol é dominante e a temperatura durante o dia é em torno de 25ºC a 30ºC, chegando a 10ºC a noite. Nas serras que compõe a Chapada Diamantina estão os picos mais altos da Bahia, tendo como ponto culminante o Pico do Barbado com 2.033 metros de altitude.

Devido ao seu tamanho e quantidade de atrativos espalhados em seu entorno, é muito importante que se planeje a viagem com uma boa logística envolvendo pernoites em mais de uma cidade, pois caso contrário será impossível conhecer algumas das principais atrações. (ver vídeo de 2 minutos sobre esta logística)

Segunda maior cachoeira do Brasil com 340 metros de altura, a Cachoeira da Fumaça
Cachoeira da Fumaça com seus 360 m de queda

Atrativos naturais 

Em uma área tão extensa e rica em ecossistemas e biodiversidade há um gama de atrativos naturais que, por si só, explicam porque o Parque da Chapada Diamantina atrai tantos turístas amantes da natureza e da vida outdoor. Conheça algumas das principais atrações que a Chapada oferece.

Cachoeira da Fumaça

Considerada uma das maiores quedas d’água do país, a Cachoeira da Fumaça conta com impressionantes 360 metros de queda e uma vista espetacular. É o atrativo mais procurado pelos viajantes que gostam de curtir a emoção de estar no topo dessa cachoeira. Veja o vídeo.

Cachoeira do Buracão

Acesso à Cachoeira do Buracão
O cânion do Buracão com suas fantásticas paredes de pedras sobrepostas

A Cachoeira do Buracão é considerada uma das mais bonitas da região, tem 85 metros de queda d’água e está localizada em um belo cânion de pedras folhadas. Para ter acesso a cachoeira, que fica no extremo sul do parque, é preciso percorrer um trilha agradável à margem do rio. Veja o vídeo.

Morro do Pai Inácio

Pôr do sol no Morro do Pai Inácio, Chapada Diamantina
Entardecer no Morro do Pai Inácio, Chapada Diamantina

O morro do Pai Inácio é um dos atrativos mais procurados na Chapada, porque de lá se tem uma vista privilegiada de boa parte do Parque a 1.120 metros de altitude. Acesso é facilitado por uma estrada que vence boa parte do desnível. Apenas os últimos 800 metros é feito a pé. O visual do pico  é considerado o cartão postal da Chapada Diamantina e de quebra, lá no topo você ouvir a famosa Lenda do Morro do Pai Inácio! Veja o vídeo.

Gruta da Lapa Doce

A Gruta da Lapa Doce, com seus amplos salões, é ideal para quem quer ter uma primeira experiência em cavernas
Com um grande duto e bem espaçosa, é uma caverna ideal para iniciantes.

É a terceira maior caverna do Brasil, com 20 km mapeados e 850 metros abertos para visitação. Se difere da maioria das cavernas da região por ser ampla, arejada e de fácil acesso. A gruta de Lapa Doce fica no município de Iraquara e faz parte do complexo de cavernas calcárias da Chapada Diamantina. Veja o vídeo.

 

Cachoeira da Encantada

A Cachoeira Encantada fica localizada no município de Itaete
Encanto com 220 metros de altura!

Algumas imponentes cachoeiras da região sudeste do Parque Nacional permaneceram resguardadas do turismo e só começaram a ser visitadas nos últimos anos. São jóias de um tesouro de atrativos naturais que parece não ter fim. Dentre elas está a Cachoeira Encantada, uma preciosidade com 220m de queda livre.

O acesso à esta região envolve muitas estradas de terra que exigem paciência do visitante e bons amortecedores dos veículos.  Existem pelo menos 5 cachoeiras que merecem ser visitadas e praticamente todas demandam um passeio de dia inteiro.

Você pode ir e voltar a partir de Mucugê ou Igatu (aproximadamente 3 hs de distância) ou se deslocar e pernoitar na região, facilitando muito a sua logística, mas tenha em mente ficará hospedado em uma pensão domiciliar, já não existem outras opções de hospedagens.

 

Poço Azul

Um banho nas águas cristalinas do Poço Azul
Os raios de sol aparecem de abril a novembro.

 

O poço azul é um dos atrativos mais visados da Chapada. A gruta de águas azuis provocadas pela luz do Sol que invade o cenário resulta em um verdadeiro capricho natural e geológico. O poço azul fica no município de Nova Redenção e é convidativo para um banho renovador. Veja o vídeo.

 

Poço encantado

O Poço encantado com suas águas azul roial
Aprox. 100m de comprimento, 50m de largura e 60m de profundidade. Foto: André Dib

Esse é considerado um dos passeios mais exuberantes da região. O poço tem cerca de 60 metros de profundidade e as águas incrivelmente cristalinas permitem perceber toda o cenário que o cerca. O local é invadido por um feixe de luz que parece dar razão ao encantamento do lugar. Veja o vídeo.

Poço do Diabo

Abaixo do poço do diabo esta a garganta do diabo.
Logo abaixo do poço principal, o rio segue formando recantos como este.

Essa é uma atração com acesso fácil, feito por trilha com cerca de 15 minutos, que beira o Rio Mucugezinho. O poço com águas escuras é muito frequentado por quem gosta de se aventurar com rapel e tirolesa e por aqueles que não têm medo de saltar dos paredões de pedra direto para o poço.

Apesar de não ter um nome muito convidativo, o Poço do Diabo é muito bonito e bastante frequentado. Veja o vídeo.

Gruta Torrinha

A gruta da Torrinha é uma das mais bonitas do Brasil
Considerada uma das mais ornamentadas de todas as cavernas do Brasil, a Gruta da Torrinha oferece 3 diferentes circuitos.

Para visitar a Gruta Torrinha, é necessário disposição e preparo físico, pois o acesso não é exatamente fácil. Para conhecer os três percursos é preciso cerca de duas horas, lembrando que um monitor local precisa acompanhar a visita.

A primeira parte é a mais simples e com acesso facilitado, já para chegar à segunda, é preciso passar entre os blocos de rocha ou mesmo se agachar — um pouco de elasticidade vai bem nesse passeio —, mas vale a pena para conhecer as flores de aragonita.

Na terceira parte, os visitantes poderão observar as diferentes formações que surgem por ali, como estalactites, que descem do teto, e as agulhas de gipsita que estão no chão. Veja o vídeo.

Gruta da Pratinha

Pode se fazer o mergulho com snorkel para visitar a gruta da Pratinha
De dentro da gruta da pratinha saem as águas que formam o lago de mesmo nome

Essa gruta já possui acesso mais fácil e é possível conhecer sem a presença de um guia. Nela, a grande atração é praticar flutuação e, para descer até o rio com águas muito clarinhas, é possível pegar uma pequena trilha, ou mesmo optar pela forma mais emocionante: a tirolesa

Uma vez na água, basta aproveitar as maravilhas desse local e passar alguns bons momentos nadando, mergulhando ou flutuando. Veja o vídeo.

Cachoeira do Mosquito

Cachoeira do Mosquito - Chapada Diamantina
Cachoeira do Mosquito vista de cima. O acesso até a queda d´água é fácil e permite excelentes banhos

Essa cachoeira não está entre as maiores da Chapada Diamantina, tem cerca de 60 metros de altura, mas não é por isso que ela não é interessante. Localizada próxima à Serra das Paridas, o acesso é fácil por uma trilha que leva em torno de 15 minutos para ser percorrida.

Os visitantes encontram um poço entre as pedras para aproveitar um delicioso e renovador banho em águas límpidas. Curioso é que o nome nada tem a ver com os insetos! Mosquitos ou mosquitinhos são nomes dados pelos garimpeiros para os diamantes bem pequenos que encontravam neste rio. Veja o vídeo.

Caminhadas e turismo de natureza 

As atividades ao ar livre vem conquistando muitos adeptos, por oferecer um contato direto com a natureza e apresentar benefícios para a saúde e qualidade de vida. Para fugir da rotina estressante da cidade, as pessoas buscam viajar, explorar lugares novos e é exatamente nesse contexto que o turismo de natureza ganha destaque.

A natureza exuberante da Chapada Diamantina atrai turistas do Brasil e do Mundo interessados pelo ecoturismo. A grande quantidade de atrativos no entorno do Parque Nacional torna possível agradar aos novatos neste tipo de turismo, com passeios mais contemplativos e com poucas caminhadas e também aos mais experientes, com opções de trilhas mais longas e desafiantes.

Seja em deslocamentos curtos até uma cachoeira ou em travessias extensas pelo parque, as caminhadas representam uma atividade importante no que chamamos de turismo de natureza. O principal exemplo é o trekking no Vale do Pati.

Trekking no Vale do Pati

Travessia do Vale do Pati no Parque Nacional da Chapada Diamantina
Travessia do Vale do Pati na Chapada Diamantina, uma experiência de imersão na natureza e interação com a comunidade.

O Trekking no Vale do Pati é considerado por muitos o mais bonito do Brasil. Para percorrê-lo, é preciso disposição — e fôlego — para longas caminhadas. Os passeios duram de 2 a 5 dias e oferecem uma jornada de contato com a natureza e aventura aos amantes do ecoturismo e trekking.

O percurso pelo Vale do Pati passa por muitas montanhas, vales, rios, cachoeiras, cerrados e matas, permitindo uma experiência de contato com a natureza. Entre os atrativos que os visitantes podem aproveitar, vale destacar o Cachoeirão por cima, com sua queda d’água de 300 metros.

Outro ponto é o Mirante do Vale do Pati, afinal, conhecer a região das alturas é algo que todos os visitantes devem aproveitar. A trilha que leva até o mirante é muito bonita e do topo se avista o Vale com seus muitos morros.

Mais uma indicação é o Morro do Castelo, que se torna mais interessante pela necessidade de atravessar uma caverna até chegar ao topo. Além disso, vale ressaltar que essa trilha é feita em uma subida bastante íngreme.

Por fim, fora o contato com a natureza, essa experiência permite conhecer habitantes locais e saber seus costumes, pois os pernoites e refeições são feitos em suas casas, deixando a viagem ainda mais rica e interessante.

História e ecologia

A Chapada também guarda um relevante patrimônio histórico, as cidades que rodeiam o Parque apresentam uma arquitetura colonial que remota aos tempos em que a região era explorada em razão da sua riqueza mineral. O ciclo do diamante fez do Brasil o primeiro produtor mineral do século XX. Mas antes da chegada dos primeiros bandeirantes, por volta de 1750, o local era dominado por índios Maracás e Cariris.

A diversidade ecológica do Parque Nacional que conta com quatro biomas associada ao seu conteúdo histórico explicam o importante papel da unidade de conservação. Afinal, os principais rios da Bahia nascem nas encostas da Chapada Diamantina e formam cânions, grutas, rios e cachoeiras responsáveis pela beleza cênica da região.

A cidade de Lençóis, centro da Chapada Diamantina

Foto casario colonial na Chapada Diamantina - Lençóis - BA
Com casario colonial tombado pelo patrimônio histórico, Lençóis é a principal, mas não única, cidade da Chapada Diamantina

Na Chapada Diamantina, a cidade que é considerada o centro comercial, de serviços e também o portal de entrada é a pequenina e histórica Lençóis. Tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), oferece uma ampla rede hoteleira, são mais de 2000 leitos e também grande variedade de bares e restaurantes.

Além disso, é em Lençóis que estão concentradas as agências de viagens que organizam diferentes passeios para os pontos turísticos da região.

Ainda que a natureza bela e plena seja o maior atrativo da região, vale a pena passear pelas ruazinhas de paralelepípedos e observar as construções históricas que datam do século XIX.

Por fim, Lençóis conta com uma interessante agenda cultural, como a festa de São João e o Festival de Inverno, com a presença de artistas nacionais importantes, como Gilberto Gil e Ana Carolina, que já se apresentaram no evento.

Conheça a Vila de Igatu

As tocas de pedras são herança da febre do garimpo.
Igatu Picchu? As tocas de pedras, uma herança da época  do garimpo.

A Vila de Igatu é um dos atrativos mais pitorescos da Chapada Diamantina é conhecida como Igatu Picchu ou Machu Picchu brasileira. A vila já teve mais de 10 mil habitantes mas hoje conta com cerca de 400 habitantes. O lugar foi descoberto em por volta de 1840 por garimpeiros que construíram casas de pedra e que hoje são consideradas um dos atrativos históricos mais importantes da região.

Mas não para por aí não! A vila também conta com muita beleza natural  e algumas singularidades incríveis, como a galeria museu a céu aberto “Arte e Memória” e a possibilidade de interagir com alguns de seus moradores ilustres como o Amarildo e o Seu Guina. 

Para conhecer a Vila de Igatu e a sua história, o ideal é fazer o tour com um guia que irá contar cada nuance do atrativo e deixar o passeio bem mais produtivo.

Viagem em família

Você deve ter notado a foto de abertura, certo? Sim, um local com tantas opções de passeios diferentes também é perfeito para levar sua família. A estrutura turística com bons hotéis e restaurantes garantem o conforto e a diversidade  de atrativos tão diferenciados possibilita a montagem do roteiro certo para contemplar as necessidades de todas as idades.

Viver estas experiências junto com seus filhos ainda crianças ou adolescentes ajudará a criar uma cumplicidade e aproximar laços familiares. Certamente a viagem ficará gravada na memória de seus filhos para o resto da vida. 

Pronto para conhecer o melhor turismo de natureza do Brasil? Então veja este vídeo sobre a logística dos passeios e comece a planejar suas próximas férias!. Quem prefere viajar com tudo pronto pode escolher um pacote de viagem para Chapada Diamantina com tudo organizado. 

Para receber mais informações e dicas sobre a Chapada Diamantina e outros destinos do Brasil e do mundo, assine a nossa newsletter!