Tantos dias conhecendo a Chapada Diamantina, suas belezas e seus encantos que nem da vontade de ir embora. Hoje é o último dia de trilhas, caminhadas, banhos em rios e cachoeiras, vistas inesquecíveis que a sensação é de pena por estar acabando, mas felizes por tudo e por todos que conhecemos. Felizes por termos tido a oportunidade de estar com a equipe Venturas Viagens que simplesmente foi incrível.

Hoje como é um dia de grutas, então não precisamos ficar tão atentos com o protetor solar, mas é  sempre bom passar e foi o que fizemos. Sem desgrudar delas, das nossas máquinas fotográficas, completamos o look com calçados confortáveis, roupas leves e para fechar o kit água para se hidratar e refrescar durante o dia.

Conhecendo a Chapada Diamantina em Sete dias – Sétimo dia

Gruta da Torrinha

Gruta Torrinha 14 300x168 - Dia 7: Conhecendo a Chapada Diamantina em Sete dias
Considerada por muitos espeleólogos como a caverna mais bonita do país, repleta de belas formações de calcita e aragonita

Saímos da Pousada do Capão às 9:00 horas e seguimos direto para a Gruta da Torrinha. Não muito distante, logo chegamos ao local de entrada da gruta. A Torrinha é considerada a mais bela gruta do Brasil é uma das maiores da Chapada Diamantina, tendo a segunda maior flor de aragonita do mundo. A visita que o Lucas e o grupo fizeram durou cerca de duas horas. Apesar de alguns trechos serem bem apertados, visitar a Gruta da Torrinha vale muito a pena por sua beleza indescritível. Mesmo querendo muito ir, achei melhor não entrar na gruta tendo em vista que tenho fobia de lugares fechados e apertados, por isso quem vai fazer o depoimento aqui é o Lucas. Quem foi recomenda a visita, pois a gruta guarda os mais raros espeleotemas e bolhas de calcita. Antes de entrar foram passadas as orientações e todos colocaram capacetes de segurança com lanternas. Todos prontos era hora de começar a visita.

Lá dentro era exatamente como nos foi passado. Com muita atenção para não se machucar, e muito cuidado para não tocar nas “atrações da gruta” cada minuto caminhado era como uma exposição de belezas naturais. Só de pensar que tudo aquilo durou anos para se formar  já é impressionante, e é de se admirar que tudo aqui sempre está em eterna formação. Cada minuto que passa significa que a natureza está dando continuidade ao seu brilhante trabalho. Os guias explicam tudo que vemos e com muito orgulho falam do lugar que é uma mistura de trabalho e lazer para eles. Eles explicam tudo! Das formações até mesmo a vida que existe dentro da gruta. Vida esta que está em pequenos insetos e morcegos inofensivos. Isso é valido dizer por que a vida dentro de cavernas e grutas pode assustar algumas pessoas, mas normalmente os seres que habitam grutas são seres inofensivos aos humanos. Então, não tenha medo e aproveite sempre que quiser entrar em uma gruta, sobretudo, na Chapada Diamantina.

No retorno, como já estava na hora do almoço, seguimos para o restaurante que fica próximo a gruta da Lapa Doce para poder almoçar. Como sempre as iguarias são de nos deixar eternamente com dúvidas do que comer. A variedade é muito grande e é possível ficar bastante satisfeito. Mesmo para quem não gosta tanto de alguns pratos, sempre são oferecidas opções que estão no gosto de cada visitante.

Apesar de estarmos perto da entrada da Gruta da Lapa Doce, por motivo de horário, resolvemos primeiro conhecer a Pratinha, para onde seguimos.

Gruta Azul e Gruta da Pratinha

Gruta Azul 300x168 - Dia 7: Conhecendo a Chapada Diamantina em Sete dias
A Chapada Diamantina surpreende novamente. Não bastando uma ocorrência de tão rara formação natural, esta é a terceira gruta com águas azuis e incidência de raios solares diretos

Na Pratinha, que fica localizada em uma fazenda, o visitante tem a opção de dois passeios. Os dois bem próximos, muito tranquilos de se fazer, nós recomendamos agendar para dias de semana onde a quantidade de visitantes costuma ser menor e consequentemente você poderá aproveitar melhor seu passeio.

Fomos primeiro conhecer a gruta azul, pois o melhor horário para visitar é entre 14:30 e 15:30, então seguimos logo para lá. Na gruta, a beleza do lugar também é impressionante. Nela não é permito banho, apenas a contemplação de suas águas azuis e o encanto do lugar.

Gruta da Pratinha 3 300x183 - Dia 7: Conhecendo a Chapada Diamantina em Sete dias
Desta gruta nasce uma lagoa com águas cristalinas e esverdeadas. o Caribe é aqui!

Depois seguimos para a Gruta da Pratinha, onde é possível fazer tirolesa, flutuação com uso de equipamentos alugados no próprio local, ou simplesmente banhar-se em suas águas límpidas. No nosso caso, aproveitamos para nos refrescar naquela deliciosa água de cor azul translúcida. Vale lembrar que existem valores para as atividades. Entrada na fazenda R$ 30,00 / Tirolesa R$ 10,00 / Flutuação R$ 20,00. A água é tão transparente que é possível ver os peixinhos nadando e até nadar com eles. 

Ficamos um bom tempo nas águas da Pratinha, até que vimos que o fim da tarde estava se aproximando e ainda tínhamos a gruta da Lapa Doce para conhecer. Então voltamos para enfim caminhar na escura e encantadora Lapa Doce.

Gruta da Lapa Doce

Gruta da Lapa Doce 300x189 - Dia 7: Conhecendo a Chapada Diamantina em Sete dias
Foto tirada da parte baixa da Dolina, bem na entrada da Lapa Doce, uma caverna ideal para quem nunca entrou em uma gruta antes. Dutos espaçosos e fáceis de se caminhar dentro dela.

Com lanternas e acompanhados de um guia da gruta, fomos descendo até a sua entrada. Com um total de uma hora e meia, nós fomos caminhando e apreciando todo o encanto que a gruta possui. Apesar de ser totalmente fechado, como a sua altura é bem grande e o deslocamento na gruta é feito com bastante espaço, eu consegui conhecê-la com tranquilidade. Essa é uma gruta de fácil acesso e locomoção então é muito indicada para pessoas que têm algum tipo de fobia com lugares fechados. A sensação que temos é de paz e tranquilidade que são, de certa forma, potencializadas em um momento do passeio. Já próximo da saída, apagamos todas as lanternas e ficamos em silêncio, sentindo a gruta na sua completude. Realmente um momento único para agradecer tudo que estávamos vivenciando naquela semana de passeios, encantos, descobertas e superações.

Gruta da Lapa Doce 8 300x169 - Dia 7: Conhecendo a Chapada Diamantina em Sete dias
A caverna da Lapa Doce é ampla, espaçosa e fácil de se locomover dentro dela.

Sua distância interna é de 850 metros onde é possível ver formações esculpidas pela natureza durante milhões de anos. Algumas delas são conhecidas como Torre de Pizza, Corcovado, Cachorro, Criança no colo da mãe e Pão de açúcar. Isso por que essas formações se assemelham a essas imagens. 

Fechar o dia e a semana de passeios na Gruta da Lapa Doce realmente foi inspirador. Nos proporcionou sensações que estão marcadas em nós para sempre. Saímos da gruta sem a luz do sol, mas com a beleza do início da noite. Seguimos para o carro e fomos em direção a Lençóis, onde passamos nossa última noite na Chapada Diamantina, hospedado no Hotel Canto das Águas.

No jantar de despedida conversamos sobre todos os lugares que visitamos, o que mais agradou ou foi mais marcante para cada um… Foi um momento onde aflorou o sentimento de saudades e de gratidão. Agradecemos a equipe Venturas e todos que fizeram essa semana nos marcar com momentos inesquecíveis.

Mas como não queríamos que acabasse assim, era hora de caminhar pelas históricas ruas da charmosíssima Lençóis. Para fechar a noite, um brinde ao som de músicos locais. Sem dúvida a Chapada está para sempre em todos nós!

Texto: Camila Jasper   Fotos: Lucas Jasper.

Camila & Lucas Jasper, exploram lugares pelo mundo, conhecendo culturas e pessoas, compartilhando experiências vividas e reflexões. Eles vivem o sonho de experimentar o máximo de cada momento compartilhando a experiência no We Upp, através de vídeos, fotos e textos. www.weupp.com e  www.facebook.com/weuppworld
Veja abaixo os relatos dos demais dias e se tiver interesse em fazer uma viagem similar, clique para ver opções de pacotes de viagem para a Chapada Diamantina.